14 de set de 2008

Esperança e Mudança

Neste momento atual, prestes a exercer o “direito” de voto, não consigo parar de pensar no futuro do meu país. Lembro quando criança, que havia esperança nos olhos dos nossos pais em uma mudança para um governo em que houvesse mais liberdade de expressão e assim, aliviar a pressão e partir para mudanças...
De lá para cá experimentamos direita, centro, esquerda. Os avanços para o país vieram e a passos lentos continuam chegando...
Com tristeza me deparo que o problema brasileiro está no seu povo, que é imediatista, ignorante, sem sentimento nacionalista e com mentalidade de progresso de si mesmo, apenas de se utilizar da lei de Gérson: “... levar vantagem em tudo, certo?”. Quando menciono “o povo”, não me refiro aos que estão marginalizados, sem oportunidades, mas aos que têm estudo e trabalho, podem votar e comprar um pão. Esses ainda estão com o pensamento do Brasil colonial, que queria apenas retirar as riquezas para levar à corte, substituindo apenas a corte portuguesa por si mesmo...
Nossos políticos são humanos e um reflexo do povo. Precisamos parar de criar piadas com a situação de corrupção ou de algum escândalo qualquer. Levemos à sério o rumo do país, que precisa educar seus cidadãos. Vamos deixar de nos contentar com o pão e circo na TV e fazer nossas cobranças. Aquelas mesmas cobranças básicas que eu ouvia quando criança: “Educação e Saúde para todos”, mesmo que sejam necessárias 2 ou 3 décadas. Se nossos governantes não estiverem interessados em projetos de longo prazo, então não podem estar no poder, pois o país precisa. Nós precisamos dar continuidade à estes projetos na troca de governo com a cobrança. Os políticos não podem parar um projeto importante iniciado em outra gestão sem mostrar as razões, sem participar ao povo.
Segundo o filósofo Albert Schweitzer: “A tragédia não é quando um homem morre; A tragédia é aquilo que morre dentro de um homem enquanto ele ainda está vivo.”
Assim, não percamos a esperança de melhorar nosso país, pois sabemos EM QUEM temos crido e EM QUEM esperamos. Citando Gilberto Dupas, “A esperança cristã é muito superior à capacidade humana de sonhar com um mundo melhor”. De fato, a Bíblia mesmo afirma em ICor 15:19 que: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens”.
Se o nosso futuro está garantido em Cristo, temos toda a força necessária para iniciar uma mudança no país, pois precisamos pensar naqueles que ainda não têm Esperança.
Então o que podemos fazer é:
- Orar pelo país, pelos governantes, pelo povo, por nós para que não percamos a visão.
- Votar ou anular o voto (dependendo da situação, às vezes é mais benéfico anular)
- Lutar pela injustiça que está próxima de nós, no trabalho, universidade, escola, etc, pois Jesus Cristo certamente não se calaria diante das injustiças.
- Evitar nutrir qualquer sentimento de ódio aos “representantes do povo”, quer sejam vereadores, deputados, senadores ou presidentes, por mais difícil que possa ser...
- Viver observando a ética e princípios Cristãos.
- Viver o Evangelho, mais do que mesmo falar sobre ele...

Ainda citando Gilberto Dupas: “A esperança produz uma alegria gerada pela fé, que abraça algo que de fato virá à seu tempo”. Isto serve para o futuro do Brasil e para o nosso futuro na Nova Jerusalém.
Enquanto trabalhamos, Maranatha!

Nenhum comentário: